A importância de investir no e-commerce para otimizar os resultados

por | 27/07/2018 | ecommerce

Nunca investir em e-commerce se mostrou ser tão rentável. Em 2017, o faturamento do setor foi de pouco mais de 47 bilhões de reais, o que representa um crescimento de 7,5% em relação ao ano anterior. Os dados são do E-bit, importante entidade que mensura o desempenho do setor.

Apesar dos números expressivos, somente os negócios que buscam um maior entendimento do público e suas necessidades e a partir daí criam campanhas digitais sólidas e garantem uma boa experiência de compra são capazes de se destacar em um setor tão acirrado. Daí a importância de elaborar uma estratégia eficiente, planejar bem e trabalhar muito para manter o e-commerce competitivo.

Neste post vamos apresentar algumas razões para mostrar como investir no mercado virtual é lucrativo e como é possível obter bons rendimentos com o segmento. Boa leitura!

Por que investir em e-commerce traz resultados?

Ter uma loja virtual e não investir em marketing é como ter uma loja convencional sem vitrine, panfletos, anúncios e outras formas de publicidade. O mesmo vale para uma empresa que não investe na melhoria de processos ou em maquinários que reduzem o tempo de trabalho.

Essa pequena comparação mostra que um negócio virtual, assim como um físico, exige esforços para se manter eficiente, ter um diferencial de mercado e tornar pública sua proposta. A partir daí é possível obter bons rendimentos.

Como otimizar os investimentos para obter melhores retornos?

Nem sempre o investimento será de dinheiro, mas sim de tempo — uma vez que será preciso desenvolver uma estratégia e processos para cada setor do e-commerce. Vamos aos pontos-chave.

Planejamento

Esse é um dos pontos que vai exigir investimento constante de tempo, pois o planejamento deve se adaptar à realidade do empreendimento. É ele quem dita como os processos serão desenvolvidos, quais indicadores serão analisados, quais os objetos e metas a serem atingidas e outras ações que serão realizadas para chegar até os objetivos.

O planejamento é fundamental, pois vai apontar quais serão os caminhos a seguir. Os gestores devem escolher o modelo que mais tem facilidade em aplicar — Canvas e 5W2H são os mais utilizados — e a partir daí colocá-lo em prática.

Estrutura

É ela quem vai dar sustentação ao negócio e permitir que os gestores possam cadastrar produtos, manter os dados dos consumidores em segurança e fazer vendas sem complicações. Uma boa estrutura de e-commerce deve contar com:

  • plataforma moderna;
  • layout responsivo que facilite a experiência do usuário;
  • servidores estáveis;
  • painel de gestão intuitivo;
  • intermediadores de pagamento que funcionem;
  • dados de navegação;
  • certificados digitais SSL.

Estoque

Basicamente, será preciso investir na padronização do estoque, na preparação e no despacho dos itens vendidos. Há modelos de estoque próprio, do distribuidor ou guardados por terceiros — que não exige grandes esforços por parte dos gestores. Toda a operação é feita por terceiros e cabe a loja virtual apenas vender.

Se o modelo de estoque consignado não for o adotado, será preciso manter uma organização que facilite a programação de compras. Dessa forma, é possível aproveitar oportunidades com fornecedores, fazer saldões e desenvolver promoções.

Fornecedores

A boa relação com fornecedores ajudará a manter a base do negócio. A escolha deve ser pautada no nicho de atuação, suas preferências, poder aquisitivo e necessidades. Por isso, é importante contar com empresas sérias, que atendam aos prazos e apresentem boa reputação e honestidade.

Também é fundamental organizar contatos, utilizar canais de comunicação dinâmicos e buscar humanizar o relacionamento como um todo. Dessa forma, é possível fechar contratos favoráveis e negociar formas de pagamento e prazos — para as duas partes saírem ganhando.

Marketing digital

Essa é a metodologia que mais traz retorno ao investidor. O marketing digital utiliza de ferramentas pagas e não pagas para planejar, divulgar a proposta e/ou ofertas e mensurar os resultados alcançados.

Entre as metodologias mais expressivas está o SEO para tornar a marca conhecida nos buscadores. Por meio de palavras-chaves ao logo do conteúdo produzido, o e-commerce pode ser encontrado quando um usuário realiza alguma pesquisa.

Além dele, é possível investir:

  • em anúncios nos buscadores — links patrocinados — e redes de sites parceiros;
  • em anúncio nas redes sociais;
  • no impulsionamento de publicações;
  • por meio de influenciadores digitais.

Ferramentas de gestão e/ou automação

São sistemas indispensáveis para facilitar a gestão, automatizar processos e integrar dados. A seguir, você confere os dois mais importantes.

CRM (Customer Relationship Management)

Em tradução livre, a sigla significa Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente. Os sistemas CRM permitem que a marca crie iniciativas para atender as necessidades de seus consumidores e reúnem dados completos sobre o cliente — que são fáceis de identificar, atualizados e confiáveis.

A ideia é manter todas as informações centralizadas em uma única interface e se valer delas para aperfeiçoar a estratégia como um todo. Com elas, os gestores fortalecem o relacionamento com o cliente e mostram que a opinião deles tem valor e que estão sendo ouvidos.

ERP (Enterprise Resource Planning)

Um Sistema Integrado de Gestão Empresarial é uma ferramenta que dinamiza a gestão das empresas, automatiza ações e integra atividades de vendas, contabilidade, fiscal, compras, RH, logística, estoque, entre outras.

O intuito é criar uma base de dados operacional e gerenciável que seja capaz de integrar os diferentes setores e fazer com que eles trabalhem de forma sincronizada. Assim, há menos perdas, é possível retrabalhos, há ganho de eficiência e redução de custos.

Atendimento

De nada adianta ter um bom preço e uma estrutura sólida se o atendimento deixar a desejar. Ele é o instrumento pelo qual muitas pessoas decidem se vão ou não comprar na loja virtual. O bom atendimento estimula recompras, viabiliza a fidelização e o feedback dos consumidores.

Por isso, é importante contar com canais ágeis, scripts para os atendentes saberem o que fazer e quando fazer, além de páginas com perguntas frequentes. Se possível, busque formas mais sofisticadas de interação como chatbots e inteligência artificial, por exemplo.

Segurança

Os esforços em segurança não servem apenas para resguardar o patrimônio, mas também os dados dos clientes. Daí a necessidade de investir em certificados de segurança SSL, blindagem e análises de risco para reduzir os casos de fraudes, ataques e roubos de informações.

Por que é importante acompanhar as métricas?

Os gestores desprendem tempo para desenvolver estratégias, investir em ferramentas de automação e controle, procuram atender bem seus clientes com uma experiência de compra rica, além de buscar diferenciais de mercado. Agora é o tempo de acompanhar as métricas como taxa de conversão, abandono de carrinho, vendas, número de visitas e tudo mais que acharem necessário ser mensurado.

A partir do acompanhamento dessas variáveis, os gestores entendem a dinâmica por trás do negócio, quais medidas estão funcionando e quais devem ser repensadas. Como mencionamos no início do texto, não basta só investir em e-commerce, é preciso entender o nicho de atuação, o público e suas necessidades.

E aí, o conteúdo foi útil para você? Então aproveite e curta nossa página no Facebook. Lá nós compartilhamos mais informações incríveis que são capazes de aumentar sua visão acerca do mercado virtual!

LIGUE 47 3055-2655

Fale com um especialista

icone whatsapp Glaucia

Luana

Chat direto clicando no ícone

Cadastre seu e-mail e fique atualizado sobre boas práticas de e-commerce. SEM SPAM 🙂

site-seguro
plataforma-workconnection
google-safe-browsing

Rua Emmerich Ruysam, 214 - Sala 03- Vila Nova  - Jaraguá do Sul - SC
Todos os direitos Reservados ©2018