Por que e como montar um e-commerce para o seu negócio

por | 27/11/2017 | artigos especiais, ecommerce

Enquanto muitas lojas físicas passam por dificuldades, os e-commerces se desenvolvem cada vez mais no Brasil. Segundo a pesquisa Webshoppers da E-bit, o comércio eletrônico brasileiro registrou um crescimento de 7,5% no primeiro semestre de 2017, comparado ao mesmo período de 2016. Assim, montar um e-commerce é uma oportunidade de crescer, mesmo em um cenário complicado.

Outros dados interessantes:

  • 66% da população brasileira possui acesso à internet;
  • de janeiro de 2016 a janeiro de 2017, houve um crescimento de 16% na quantidade de usuários;
  • o brasileiro fica conectado em média quase 5 horas por dia pelo computador e pouco menos de 4 horas diárias pelo celular;
  • 58% dos brasileiros são usuários ativos nas redes sociais.

Esses dados apenas confirmam o que você já deve saber: passou da hora de montar um e-commerce e abocanhar parte desse mercado promissor. O que atrapalha é que, apesar de saber que é uma alternativa interessante, muitos empreendedores encontram dificuldades nesse assunto. Mas agora você encontrou o que precisava para acabar com as suas dúvidas.

Seguindo as orientações abaixo, você perceberá que montar um e-commerce e faturar na internet é possível para qualquer pessoa que tenha planejamento, força de vontade, conhecimento e apoio de empresas sérias.

Diferenças entre site, e-commerce e loja virtual

Com a popularização da internet, muitos termos provenientes do “internetês” foram inseridos em nosso vocabulário. Antivírus, navegador, rede social, download e muitas outras palavras são exemplos disso. Quem deseja vender na internet precisa saber o significado destas três expressões: site, e-commerce e loja virtual. Veja a explicação de cada uma delas a seguir.

Site

Site e website são sinônimos. Essas duas palavras indicam um local na internet que contém um conjunto de arquivos de texto, imagens, sons e vídeos sobre determinado assunto e que podem ser abertos pelo navegador de internet, como o Google Chrome, Mozilla Firefox, entre outros.

Portanto, quase tudo que você vê na internet é um site. Este blog, os portais de notícias e as lojas online são exemplos de sites.

E-commerce

Sabendo o que é um site, fica mais fácil entender o que é um e-commerce. Essa palavra vem do inglês e significa comércio eletrônico. Portanto, trata-se de um tipo de site que efetua transações comerciais eletronicamente.

Assim, se um site oferece algum produto ou serviço em troca de pagamento efetuado online, realizado por meio de um carrinho de compras, ele é um e-commerce.

Loja virtual

Agora que você aprendeu o que é um e-commerce, deve estar se perguntando o que é uma loja virtual. Muitas pessoas defendem que e-commerce e loja virtual têm significados diferentes, sendo o primeiro voltado para empreendimentos de grande porte, enquanto o segundo para pequenos negócios.

Porém, a verdade é que os dois termos podem ser usados como sinônimos. Portanto, uma loja virtual é um e-commerce e vice-versa.

Diferenças entre vender online e em lojas físicas

Seguindo adiante, agora você precisa saber as diferenças entre vender na sua loja física e no seu futuro negócio virtual.

Investimentos

Caso deseje abrir ou ampliar uma loja física, você deve estar ciente de que precisará investir em um imóvel, seja próprio ou alugado, e na sua adaptação, como a instalação de mobiliário, placas, sistemas de segurança e de caixa e muitos outros.

Ao montar um e-commerce, você também vai precisar se preocupar com o local de funcionamento e com a adaptação do sistema ao seu negócio, mas as cifras são bem menores, pois não é necessário realizar nenhuma reforma ou compra de móveis e equipamentos.

Outro fator que altera o investimento é a localização, que no caso da loja física é um fator decisivo. Os melhores pontos são sempre mais caros. Na loja virtual, você não tem essa preocupação.

Horários de atendimento e compra

Uma grande diferença entre os dois mercados é a questão dos horários. Esse fator tem vantagens e desvantagens para os dois lados.

Na internet, a sua loja estará disponível para realizar vendas nas 24 horas do dia, enquanto a loja física deve seguir o horário comercial. A vantagem da loja online é vender por mais tempo. Por outro lado, alguns clientes podem precisar de auxílio em uma compra de madrugada ou no domingo, e você não estará conectado para atendê-lo.

Para não ter problemas, é importante deixar claro no site qual é o horário de atendimento. Por falar nisso, na loja virtual é possível estabelecer horários alternativos, de acordo com a sua disponibilidade. Mas sempre informe isso ao seu cliente.

Estratégia de marketing

Além de ser mais acessível, o marketing online tem três importantes vantagens sobre o marketing tradicional:

  1. A facilidade na segmentação do público-alvo, permitindo direcionar as suas campanhas de publicidade apenas para quem realmente é propenso a comprar;
  2. O monitoramento online das ações, que possibilita saber se está atingindo seus objetivos ou não;
  3. A agilidade em efetuar mudanças. Caso uma campanha não consiga atingir seus objetivos, isso é identificado imediatamente e as alterações realizadas em seguida.

Informações sobre o cliente

Quando um cliente novo entra na sua loja física, provavelmente você não tem muitas informações sobre ele. Não sabe de onde veio, seus hábitos, se chegou de transporte público ou de carro, enfim, não conhece o cliente.

Para obter essas informações, você deve puxar conversa e ele precisa estar disposto a falar. Mesmo depois que você passa a conhecer essa pessoa e ela se torna um comprador habitual, dificilmente fará um histórico de compras desse cliente.

Já na loja virtual, existem ferramentas que analisam o visitante. É possível saber se essa pessoa entrou no seu site digitando o endereço ou buscando no Google, qual termo usou para buscar, se vem de redes sociais ou outros sites e para onde vai. Além disso, é possível saber quanto tempo ficou na sua loja e quais produtos visitou.

Ao efetuar a compra, é gerado o cadastro desse cliente, com diversas informações pessoais e seus históricos de visitas e compras. Essas são informações preciosas para abordar o freguês futuramente para saber se ele está satisfeito e oferecer novos produtos.

Segurança

Ter um estabelecimento comercial nos dias atuais está ficando cada vez mais perigoso devido ao risco de roubos e assaltos, tanto de mercadorias como do valor em caixa. A vantagem é aceitar dinheiro em espécie como forma de pagamento, mas esse benefício está ficando caro demais com gastos com alarmes, câmeras e contratação de vigilantes.

Quem montar um e-commerce não precisará se preocupar tanto com esse quesito. É claro que é necessário ter um estoque em local seguro, mas o valor das vendas vai todo diretamente para a sua conta bancária.

7 razões para montar um e-commerce

Você já entendeu as diferenças entre os dois tipos de comércio. Agora, vai encontrar 7 motivos para abrir um e-commerce para o seu negócio. Depois de ler, vai perceber que já deveria ter feito isso antes.

1. Ter a loja aberta 24 horas

Como já foi dito anteriormente, uma grande vantagem da loja virtual é que ela estará vendendo durante todo o dia, inclusive aos sábados, domingos e feriados. Para quem possui um e-commerce, as segundas-feiras costumam ser bem agitadas, por conta da quantidade de vendas realizadas nos fins de semana e que precisam ser despachadas.

2. Vender sem limites

Por mais que você invista em uma grande estrutura e contrate vários funcionários, qualquer loja física tem um limite máximo de clientes que consegue atender simultaneamente. No caso das lojas virtuais, milhares de clientes podem realizar suas compras ao mesmo tempo, sem problemas.

3. Oferecer comodidade aos clientes

Ao montar um e-commerce, você proporcionará comodidade aos seus clientes, que poderão realizar as suas compras no horário em que acharem melhor, de casa, do trabalho ou de qualquer outro lugar, e sem se preocupar com trânsito. Isso é muito valorizado pelo consumidor atual.

4. Acompanhar as vendas em detalhes

Como tudo que acontece na loja virtual passa por sistemas informatizados, todos os dados das suas vendas ficam registrados, possibilitando a geração de relatórios de acompanhamento da situação do negócio.

É possível saber quais são os produtos mais vendidos e que não podem faltar no estoque, os que estão encalhados e precisam de alguma promoção, quais produtos foram visitados, mas não comprados, as formas de pagamento preferidas, a rentabilidade das vendas e muitos outros dados.

Com essas informações em mãos, é mais fácil saber qual direcionamento o negócio está seguindo e formular estratégias para melhorar o desempenho.

5. Ter flexibilidade promocional

Uma campanha promocional tem objetivos claros, como diminuir estoque parado, levantar capital de giro, reforçar a presença da marca ou conquistar novos clientes. Porém, nem sempre essa ação alcança corretamente a sua finalidade.

Quando é uma loja física, existe uma demora em perceber que o objetivo não está sendo atingido e mais ainda para fazer alterações na campanha. Já quando você tem uma loja virtual, percebe que existe uma facilidade muito grande em diagnosticar falhas nas campanhas promocionais e corrigi-las em pouco tempo.

6. Concorrer em igualdade de oportunidade

No mundo virtual, é possível uma pequena loja competir com grandes players do mercado, pois as principais ferramentas estão disponíveis para todos. Além disso, a facilidade que o consumidor tem de acessar um site de uma marca poderosa e o de uma iniciante é a mesma.

A criatividade e a qualidade no atendimento oferecido pelo pequeno negócio são os diferenciais que chegam a incomodar os grandes varejistas na internet.

7. Possuir custos baixos de operação

Como já foi explicado acima, não é possível comparar os custos para abrir e manter um comércio eletrônico com um tradicional. Hoje, é possível montar um e-commerce completa, com avançados recursos de administração que inclusive auxiliam também na gestão da loja física, por uma mensalidade bastante acessível.

Como criar uma loja virtual

Agora que você já se convenceu de que precisa montar um e-commerce, siga as instruções abaixo para alavancar o seu empreendimento. Você vai perceber que não é tão difícil.

Principais pontos a serem observados na abertura de uma loja virtual

Para não cometer erros nesse processo de abrir um e-commerce, siga estas etapas que serão explicadas no decorrer do post. Dependendo da empresa escolhida para criar e gerir o seu e-commerce, alguns desses itens ficam bem simples. Veja:

  • planeje o negócio;
  • escolha a plataforma;
  • determine as formas de pagamento;
  • defina a logística;
  • utilize o marketing digital.

Planeje o negócio

Antes de montar qualquer empresa, é necessário fazer um planejamento, para que você possa definir o que deseja, encontrar as oportunidades que se encaixam no que foi definido, avaliar se o processo está seguindo os planos e fazer os ajustes necessários.

Somente com um plano de negócios bem-feito você conseguirá enfrentar a concorrência, seja no comércio eletrônico ou no tradicional. Com esse plano, você conseguirá delimitar o público que deseja atingir, pesquisar quais são as suas necessidades e características e determinar os produtos que poderão agradá-lo.

Depois, você deverá pesquisar os fornecedores, os custos, as formas de entrega e os demais detalhes do empreendimento. Tudo isso deve fazer parte do seu plano de negócios.

Escolha a plataforma

Depois de definido o planejamento do seu negócio, você vai precisar escolher a plataforma para montar a sua loja virtual. Se você ainda não sabe o que é isso, o que é bem natural, segue uma breve explicação: plataforma de e-commerce é o sistema de informática que possibilita a criação e o gerenciamento da loja virtual pelo empresário.

É nesse sistema que você definirá a aparência da sua loja, as categorias em que os produtos estarão divididos, o cadastramento das informações e preço das mercadorias, as formas de pagamento e entrega, ou seja, tudo que for relacionado à criação e administração do negócio.

Portanto, escolher bem a plataforma em que irá montar um e-commerce é um passo de extrema importância. Agora, você precisa saber que existem três tipos básicos de plataformas:

  1. Open source: são plataformas de e-commerce que têm seu código de programação aberto e são disponibilizadas gratuitamente para download. Isso significa que você poderá personalizá-la para o seu negócio, desde que tenha avançado conhecimento em informática. Além disso, a programação é gratuita, mas a disponibilização da loja na internet não.
  2. SaaS: neste caso, uma empresa especializada em e-commerce disponibiliza sua tecnologia em plataformas que facilitam a criação e o gerenciamento da loja virtual por qualquer pessoa, mesmo que não tenha conhecimentos técnicos. É cobrada uma mensalidade por esse serviço.
  3. Plataformas exclusivas: voltadas para grandes corporações que têm necessidades específicas e podem pagar para que desenvolvedores criem um sistema próprio para a empresa.

Para não errar na escolha da plataforma, no decorrer deste post você encontrará algumas dicas para definir a melhor empresa para prestar serviços especializados para o seu e-commerce.

Determine as formas de pagamento

Definir corretamente as maneiras como o seu cliente poderá efetuar os pagamentos e qual tecnologia será usada para disponibilizá-los é outro ponto crucial ao montar um e-commerce. O importante é oferecer diversas alternativas para não perder vendas.

Para disponibilizar os meios de pagamento, existem três opções:

  1. Intermediadores de pagamento, como PagSeguro, Mercado Pago, PayPal e outros;
  2. Gateways de pagamento, que são sistemas que fazem a integração com as administradoras de cartão;
  3. Integração direta, que funciona por meio da programação que permite comunicação com as empresas de pagamento, como Cielo, Rede e GetNet, sem intermediários.

Para quem está começando, o ideal é utilizar os intermediadores, que fazem todo o trabalho de análise do pagamento, inclusive relacionado a fraudes e antecipação de crédito. Ao desenvolver a sua loja, você poderá passar para os outros níveis, se achar interessante.

A empresa escolhida para prover a plataforma ajudará bastante, fornecendo sistemas que integram intermediadores de pagamento e operadoras de cartão ou deixando que você mesmo providencie tudo, de acordo com a sua vontade.

Defina a logística

Por ser o principal motivo de queixas de clientes de lojas virtuais, a logística deve ser bem planejada para não afetar a imagem da sua empresa. Os consumidores atuais são muito ansiosos para receber rapidamente os seus produtos. Portanto, oferecer entregas rápidas e cumprir os prazos é uma interessante maneira de se diferenciar.

Para isso, mantenha um bom relacionamento com seus fornecedores para não ter falta de produtos e venda apenas o que possuir em estoque. Outra dica é fechar contrato com os Correios e transportadoras para conseguir valores menores de frete e o recolhimento domiciliar, que facilita muito a vida do empresário.

Faça uso do marketing digital

Agora que você sabe como montar um e-commerce, é preciso saber como conquistar os clientes, fazendo com que entrem no seu site e efetuem compras. Você fará isso por meio do marketing digital, uma ferramenta valiosa e que faz grande diferença no faturamento de qualquer e-commerce.

Para fazer uso correto dessa solução, antes é preciso ter um mínimo de conhecimento da área. Não pense que basta fazer algumas publicações no Facebook e no Instagram para que a sua loja fique conhecida. Existem técnicas que permitem identificar o público mais interessante e fazer campanhas que o atinjam com grande probabilidade de conversão em compra. E mais: sem gastar muito.

Portanto, o ideal é contar com alguma agência especializada em marketing digital para fazer esse trabalho para a sua empresa. Ainda assim, é importante ter conhecimentos para saber o que está contratando e acompanhar os resultados.

Como escolher uma empresa especializada em e-commerce

Você deve ter percebido o quanto é importante escolher bem a empresa especializada que irá disponibilizar a estrutura necessária para que você monte uma loja virtual. Mas como escolher corretamente? Caso procure no Google, vai encontrar uma infinidade de empresas. Qual delas contratar?

Todas parecem ótimas no anúncio, mas será que todas elas prestarão um serviço condizente com a sua necessidade e capacidade de pagamento? Descubra agora o que deve ser analisado e escolha corretamente.

Como você já percebeu, no mercado brasileiro existe uma quantidade muito grande de empresas que oferecem o serviço de criação de lojas virtuais. Isso tem o lado positivo da concorrência, que faz as empresas prestarem serviços melhores cobrando menos. Por outro lado, o empreendedor sem conhecimento técnico fica perdido diante de tantas opções.

Para começar, lembra que existem três tipos básicos de plataforma de e-commerce? Open source, SaaS e exclusivas, correto? Você precisa definir qual será mais interessante para a sua situação e saber se a empresa oferece esse tipo de sistema.

Para quem está começando e não tem conhecimentos técnicos, a SaaS costuma ser a mais interessante, pois disponibiliza uma ferramenta mais simples de personalizar e administrar. Por ser contratada por aluguel, fique atento aos valores e às formas de cobrança.

Também não leve apenas o preço em consideração na sua decisão. Pode ser que o barato saia caro. Algumas empresas oferecem planos de serviços a valores muito baixos, mas com funcionalidades extremamente limitadas. Outras podem cobrar um pouco a mais, mas oferecem um sistema de gerenciamento completo, cuidando inclusive da divulgação e do controle de pagamento e frete, o que pode valer a pena.

Uma dica para não errar é agir como se estivesse comprando algo na internet. Pesquisar nas redes sociais e no Reclame Aqui para saber o que os clientes estão falando de determinadas empresas é uma excelente ideia.

Outra coisa que você precisa fazer é descobrir o portfólio de e-commerces criados pela empresa e acessá-los, para ver se têm bom funcionamento e layout. Entre em contato com alguns administradores dessas lojas para saber se estão satisfeitos e se o suporte oferecido é de qualidade.

Por fim, não contrate uma empresa qualquer apenas para o começo, pois vai errar exatamente no momento mais difícil para qualquer negócio. Portanto, comece contratando uma especialista, que fornecerá suporte para todo o desenvolvimento do seu negócio.

Pronto! Você descobriu os motivos e como montar um e-commerce para o seu negócio. Provavelmente, você deve estar muito ansioso para colocar tudo isso em prática e desbravar o mundo virtual. Seguindo as orientações colocadas aqui, é certo que conquistará uma fatia do mercado online e aumentará o faturamento da sua empresa.

Como você já sabe, vai precisar de uma empresa especialista em e-commerce. Que tal contar com uma que oferece consultoria, criação e gerenciamento de lojas virtuais utilizando as técnicas mais modernas do mercado? A Work Connection disponibiliza tudo isso para você de maneira simples e descomplicada. Entre em contato agora e descubra mais detalhes.

Aprenda a gerenciar as finanças do seu e-commerce

Aprenda a gerenciar as finanças do seu e-commerce

Gerenciar um negócio virtual, assim como um negócio físico, requer cuidados em uma série de atividades. Para ter sucesso, é fundamental que o empreendedor se atente ao atendimento, à qualidade dos produtos vendidos, aos prazos de entrega e,...

ler mais

LIGUE 47 3055-2655

Fale com um especialista

icone whatsapp ani

Ani

Chat direto clicando no ícone

icone whatsapp Glaucia

Glaucia

Chat direto clicando no ícone

site-seguro
plataforma-workconnection
google-safe-browsing

Rua Emmerich Ruysam, 214 – Sala 03- Vila Nova  – Jaraguá do Sul – SC
Todos os direitos Reservados ©2018

site-seguro
plataforma-workconnection
google-safe-browsing

Rua Emmerich Ruysam, 214 – Sala 03 – Vila Nova  – Jaraguá do Sul – SC
Todos os direitos Reservados ©2018
Termos & Condições de Serviço

× Fale Conosco