Tipos de plataformas para lojas virtuais: quais são e como escolher?

por | 15/08/2018 | artigos especiais

Lojas físicas sempre terão espaço no mercado, mas sua relevância não é mais suficiente para alavancar o crescimento de pequenos varejos. Se você tem uma loja de rua com produtos já bem reconhecidos pelo público, buscar uma plataforma para loja virtual e criar um e-commerce podem ser ótimas maneiras de fazer seu negócio crescer.

A escolha da plataforma para o e-commerce é considerada uma das decisões mais importantes, afinal ela é responsável por toda a funcionalidade da loja.

No mercado existem diversos tipos de plataforma para loja virtual, por isso, pesquise bem e não utilize qualquer uma para, no futuro próximo, trocá-la. Trata-se de um erro muito comum que vários iniciantes costumam cometer, mas que não é difícil de evitar.

A dica é escolher uma plataforma que atenda suas atuais necessidades e as futuras. Se você ainda tem dúvida sobre qual é a melhor escolha para o seu e-commerce, não pode deixar de conferir o nosso artigo!

Por que é importante ter uma plataforma de e-commerce de qualidade?

Maior alcance para suas mercadorias

A internet ofereceu a todos os empreendedores, independentemente do porte de seus negócios, a oportunidade de vender seus produtos para mais pessoas. Um e-commerce pode alcançar compradores em cidades, estados e até países bem distantes da sua loja física, dependendo do tipo de produto que você entrega. E mesmo que você pretenda manter sua atuação limitada às proximidades, uma loja virtual ainda será de grande ajuda.

Baixo custo de manutenção

Mesmo que sua loja física não tenha um faturamento tão alto, o custo de criar e manter uma loja virtual bem planejada não vai pesar no orçamento. Adotar uma solução e não apenas uma plataforma trará menos impacto ao seu fluxo de caixa e ainda contribuirá bastante para o crescimento do seu negócio, o que significa que você pode fazer isso mesmo que sua loja esteja passando por um momento de queda de lucratividade, ajudando a colocar tudo de volta nos eixos.

Otimizar a experiência do cliente

Como varejista, você deve saber que a disposição da mercadoria numa loja serve a diversos propósitos, desde facilitar a busca do cliente até aumentar a venda de determinados itens. Um site virtual segue uma lógica similar, usando seu layout e ferramentas de navegação para melhorar a experiência de compra do cliente.

Além disso, uma página pode ser configurada para que cada segundo de pesquisa aumente as chances de compra daquele visitante. A elaboração desses procedimentos pode ser um pouco mais complicada, mas ainda vale a pena estudar esse tema e aprender como utilizar o e-commerce a seu favor neste aspecto.

Facilitar o trabalho de administração

Uma plataforma para loja virtual geralmente vem com uma série de outras funcionalidades administrativas, como acompanhamento de visitas, estatísticas de vendas e cadastro de clientes. Esses recursos são extremamente importantes para quem deseja expandir um negócio através da internet.

O acompanhamento dessas métricas é uma parte muito importante para melhorar seu trabalho administrativo, elaboração de estratégias de vendas, entre outras ações — por isso, quanto mais informação e ferramentas de gestão uma plataforma oferece, melhor.

Entenda os tipos de plataformas

Você localizará, no mercado, três tipos de plataformas que ajudaram no desenvolvimento da sua loja virtual.

Basicamente, encontrará as plataformas Saas (Service as a Service), open source e desenvolvimento próprio. Os dois primeiros itens são os mais comuns para as empresas que estão em fase inicial, pois são mais práticas. Já a terceira opção é mais utilizada por lojas virtuais que precisam de aplicações e funções específicas, melhor para quando seu negócio já é estruturado e bem desenvolvido.

SaaS (Software as a Service)

É o modelo mais utilizado pela maioria das plataformas disponíveis no mercado, onde o software acaba sendo o mesmo para todos os clientes que escolhem a opção. O conceito de SaaS diz que, em vez de comprar servidores ou softwares como produtos, você os recebe na forma de um serviço, podendo modificá-los mais facilmente.

Nesse tipo de solução, não será necessário fazer nenhuma instalação para criar ou administrar a sua loja virtual. A plataforma fica hospedada na empresa contratada e pode ser acessada por qualquer dispositivo através da internet.

O pagamento é feito mensalmente e é recomendado para os e-commerces que estão começando, por causa do seu baixo investimento inicial. E como este é um serviço, você pode modificá-lo, ampliá-lo ou trocá-lo a qualquer momento.

Open source (código aberto)

Nesse modelo, o lojista faz o download de um código aberto, normalmente gratuito, que fica por conta da contratação de um serviço de hospedagem para realizar a instalação.

Com a plataforma, sua instituição fica livre de pagar mensalidade para uma empresa, mas é responsável por toda a configuração, customização e da manutenção. Isso dá ao empreendedor mais liberdade na gestão e na adição de funções, mas a curva de aprendizado necessária pode reduzir seu tempo para focar em outros pontos enquanto seu e-commerce é desenvolvido.

Neste modelo, sempre é recomendável contar com o apoio de uma consultoria profissional para garantir que aspectos mais técnicos como segurança e performance não sejam negligenciados.

Desenvolvimento próprio

Solução mais direcionada para as lojas que precisam de uma operação mais robusta e personalizada, com o objetivo de atender necessidades que clientes e lojista venham a ter — é ideal para quando seu varejo já tiver crescido.

O desenvolvimento da plataforma é feito totalmente do zero, onde é executado o planejamento de todas as funcionalidades até a construção. Para criar um site assim, é necessário um especialista com domínio do código fonte da página e de outras ferramentas que ajudem a estruturar o site.

Dos três modelos, este em geral demanda maior investimento inicial e mais tempo para que a loja fique pronta para uso.

Pontos a serem levados em consideração na hora da escolha

Para ajudá-lo nessa escolha, separamos os principais pontos que devem ser avaliados no momento da decisão. Não deixe de conferir.

Suporte

O suporte técnico oferecido pela empresa contratada é essencial para manter seus processos nos conformes. Afinal, se você tiver alguma dúvida, quererá resolvê-la de maneira rápida e eficiente. Procure verificar quais canais de atendimento estão disponíveis para os clientes. Além disso, avalie junto aos outros clientes como é o suporte oferecido.

Velocidade da plataforma

A velocidade de carregamento influenciará na atração e fidelização dos clientes. É um ponto que deve ser levado em consideração por causa das grandes datas comemorativas do comércio eletrônico. Os eventos sazonais, geralmente, aumentam e muito o número de visitantes em sua loja.

Integração

Verifique se a plataforma permite que seja feita a integração com outros softwares em sua organização. A integração ajuda na otimização das funções, além de deixar sua loja mais completa para atender os consumidores.

Customização

A customização é um dos pontos mais importantes para que o seu e-commerce destaque ao meio de tantos espalhados pela internet.

Uma identidade única é usada como diferencial para o seu negócio, mas ofereça uma boa experiência de uso para os clientes.

SEO

Verifique se a plataforma possui SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para os mecanismos de busca) amigável. Como se trata de um loja virtual, o site precisa ser otimizado para atender os requisitos do seo para e-commerce.

Uma boa potencialização fará com que sua empresa ganhe destaque nas primeiras páginas do Google, por exemplo. Mas um bom SEO é um conjunto de vários fatores além do que é ofertado pela plataforma.

Design responsivo

Esse ponto é mais que uma obrigação nos dias de hoje. Fazer com que sua loja esteja adaptada aos mais variados tamanhos de tela, poderá ser fator decisivo para que sua loja tenha sucesso ou não.

Como são utilizados vários dispositivos para acessar a internet, sua loja precisa ser acessível para todos.

Histórico da empresa provedora

A reputação de um negócio geralmente reflete a qualidade de seus serviços como um todo. Se a opinião dos clientes não é muito positiva, então é bem provável que essa não seja sua melhor escolha.

Ao fazer sua pesquisa, considere o histórico de reclamações da plataforma, como lidou com diferentes problemas e se algumas questões são muito recorrentes. Caso a reputação seja boa e o índice de erros bem baixo, então essa opção já será de maior valor para você e sua empresa.

Ferramentas para acompanhar o ROI

Como mencionamos mais cedo, é importante que um negócio, mesmo pequeno, tenha alguns recursos para acompanhar seus processos e administrar melhor seu desempenho. Dentre as estatísticas que você mais precisa acompanhar, o ROI (Return Over Investiment ou Retorno Sobre Investimento) é uma das principais.

Esse indicador representa o quanto sua loja virtual está ganhando em comparação com o que você investe nela. Se este valor for muito baixo, então pode ser que você precise repensar a foram como está estruturando seu e-commerce. Caso esteja mais alto, então é um bom momento para seguir com seus planos.

Relação custo x benefício

Depois de levar todos os pontos anteriores em conta, ainda falta uma questão: será que a plataforma vale a pena? Para responder isso, é necessário verificar a relação custo x benefício do serviço.

Basicamente, você deve comparar as vantagens que a provedora oferece com o quanto cobra pelas suas funcionalidades. Com uma pesquisa adequada, você pode encontrar um provedor que ofereça a melhor proporção entre vantagens e custo de investimento.

Plataformas de loja virtual mais utilizadas

Se você chegou até aqui, provavelmente, entendeu as diferenças dos tipos de plataformas e quais são os principais pontos que devem ser levados em consideração no momento da escolha.

Mostraremos quais são as principais plataformas disponíveis no mercado e quais são os seus pontos fortes e fracos.

Ficou interessado? Então continue lendo.

PrestaShop

PrestaShop foi desenvolvida para atender lojas de pequeno e médio porte. Sua grande vantagem é a fácil instalação que a plataforma possui, além de ser totalmente em português. Mas é necessário contratar uma boa hospedagem para que ela possa funcionar corretamente.

A plataforma possui algumas funções nativas que economizam tempo e dinheiro, como a função de checkout em uma página, sem a necessidade de redirecionamento. Além do pagamento, possibilita o monitoramento do produto e não será preciso instalar outro software para efetuar essa função.

Woocommerce

Woocommerce é nada, mais nada menos, que um plugin grátis para o WordPress, o CMS (Content Management System ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdo) mais usado no mundo.

Se você já possui experiência ou um blog no WordPress, o Woocommerce é uma boa opção de plataforma para sua loja virtual. Possui uma instalação fácil e só exige a realização de devidas configurações para o bom funcionamento da plataforma.

Mas, mesmo sendo uma ferramenta completa, a sua dependência do WordPress pode ser um pouco confuso para os usuários iniciantes. Pois, é necessário configurar o WordPress primeiro e após ir para o Woocommerce.

Shopify

Em alguns casos, o que você precisa é construir e estabelecer sua loja virtual rapidamente, aproveitando alguma oportunidade imediata. Uma ótima opção para atingir esse objetivo é usar o Shopify, uma ferramenta muito prática para criar um e-commerce com design responsivo.

Ele apresenta diversos modelos pré-prontos de páginas, permitindo que você apenas ajuste os detalhes mais importantes e comece a vender imediatamente. Além disso, segue um modelo de assinatura, então você precisa pagar todo mês para manter o domínio.

Tray

Se você tem planos para expandir seu pequeno varejo num futuro próximo, então vale a pena escolher uma ferramenta com alta escalabilidade. Este é o caso da Tray, uma plataforma que pode ser integrada com os principais marketplaces de venda online. Com ele, você pode tanto criar um site através do código fonte quanto alterar um modelo pronto.

Magento

Magento é a plataforma mais utilizada no mundo e é open source. É ideal para todos os tamanhos de lojas virtuais, por causa das suas opções ilimitadas de customização.

Além das modificações visuais que podem ser feitas, ela oferece uma grande variedade de plugins que ajudarão a melhor as funcionalidades do seu site ou até mesmo implementar novas funções.

Como se trata de uma plataforma open source, é necessário ter uma boa hospedagem para tirar o máximo de proveito da mesma.

No entanto, é importante ressaltar que a Magento possui mais de uma versão. Além da versão Magento Community Edition, que é gratuita, possui a Enterprise Edition, que é a versão paga.

A versão paga é mais robusta e permite que o lojista consiga segmentar ainda mais o seu público, já que possui uma ferramenta que faz esse tipo de ação de acordo com o histórico de compras, por exemplo.

O que aprendemos

Como deu para perceber, existem vários tipos de plataforma para loja virtual disponíveis no mercado. Para reforçar as informações, vamos rever os pontos abordados:

  • uma plataforma para loja virtual contribui para redução de custos, melhorar a experiência de compra e elevar sua rentabilidade;
  • há diferentes variações de plataformas que podem ser mais ou menos adequadas às suas necessidades;
  • é importante avaliar a qualidade da plataforma com cuidado antes de fazer sua escolha;
  • há várias opções disponíveis no mercado que se encaixam em diferentes necessidades.

Mantenha estes itens em mente enquanto escolhe sua plataforma para loja virtual e o processo será bem mais fácil!

Gostou das dicas? Quer acompanhar mais conteúdos assim? Assine nossa newsletter e receba em primeira mão!

LIGUE 47 3055-2655

Fale com um especialista

icone whatsapp Glaucia

Glaucia

Chat direto clicando no ícone

Cadastre seu e-mail e fique atualizado sobre boas práticas de e-commerce. SEM SPAM 🙂

site-seguro
plataforma-workconnection
google-safe-browsing

Rua Emmerich Ruysam, 214 – Sala 03- Vila Nova  – Jaraguá do Sul – SC
Todos os direitos Reservados ©2018

× Fale Conosco